Apoio ao cliente - 707 234 234
Quinta Às 7-Quarteto De Cordas Joly Braga Santos

Notas

M/6

Descrição

Quintas às Sete
QUARTETO DE CORDAS DE JOLY BRAGA SANTOS

Quarteto Lopes-Graça
Quarteto nº 1, op. 4, em ré m A Luís de Freitas Branco
Quarteto nº 2, op. 29, em lá m A Maria José Braga Santos
Joly Braga Santos (Lisboa, 1924 - Lisboa, 1988) é uma das principais figuras da Música Portuguesa do Século XX. Sinfonista fecundo e inspirado, chefe de orquestra, director de gravação da RDP, crítico musical e pedagogo, a sua acção multiforme foi um factor impulsionador da actividade musical da sua época e a sua obra de compositor estará para sempre considerada entre as grandes realizações artísticas de matriz autoral portuguesa.
Reunir a sua música de câmara instrumental num ciclo orgânico de concertos em Portugal, que também pudesse gerar uma edição discográfica é um projecto que Musicamera Produções alimenta laboriosamente desde há pelo menos dois anos.
A fixação de uma ficha artística credível que contasse com a aprovação de todos e cada um dos intérpretes, a elaboração das sequências de repertório de cada concerto, a localização, revisão e eventual correcção de algumas partituras, a sempre difícil coincidência das agendas e o contacto permanente com interlocutores empresariais do âmbito discográfico internacional foram os vectores em que Musicamera Produções se empenhou a fundo. 
Nesta longa preparação, MusicameraProduções contou com dois parceiros de excelência: Centro Cultural de Belém e RTP Antena 2. Para eles, uma chapelada de reconhecimento, extensiva a todos os intérpretes participantes, verdadeira força de tracção em qualquer iniciativa de música ao vivo. 
Em Novembro e Dezembro de 2017 o CCB acolherá a concretização deste projecto, que continuará em 2018. As criações de um dos maiores compositores portugueses de sempre serão seriamente integradas numa área conceptual coerente e inequívoca.
A grande Música de Joly Braga Santos merece o enorme esforço encetado. Ela é a prova viva da importância da Música de Câmara como factor gerador de conteúdos que definem a memória colectiva de um país.
Não duvidamos que o público responderá ao apelo. Os ouvintes são o principal destinatário deste gesto de defesa e de fruição de um acervo fulcral no devir da cultura musical portuguesa.
Alejandro Erlich Oliva

Promotor

Fundação Centro Cultural Belém