Apoio ao cliente - 707 234 234
Paraíso Perdido

Descrição

PARAÍSO PERDIDO
DSCH – Schostakovich Ensemble & Orquestra Metropolitana de Lisboa

    L. v. Beethoven Triplo Concerto
    K. Penderecki ** Adagietto da ópera Paraíso Perdido
    F. Schubert Sinfonia N.º 5, D. 485
 
Solistas: Corey Cerovsek * (violino), Adrian Brendel * (violoncelo), Filipe Pinto-Ribeiro * (piano)
Maestro: Adrien Brendel, (violoncelo e direção musical)
 
* Membro do DSCH-Schostakovich Ensemble, Agrupamento Associado da Temporada de Música da Metropolitana 2018/19
** Artista Associado da Temporada 2018/2019
 
Com os pés bem assentes na matriz clássica de Beethoven e Schubert, projeta-se neste programa um curto passeio pelo Jardim do Éden, ao som de um precioso interlúdio orquestral da autoria de Krzysztof Penderecki. O Adagietto do compositor polaco emancipou-se da ópera Paraíso Perdido desde a estreia, em 1978. Nesse contexto, corresponde ao momento de comoção e beleza que se interpõe entre o êxtase de Eva, que se deixa tentar pelo fruto da Árvore do Conhecimento, e o triste lamento de Adão. São apenas cinco minutos de música que se comparam a páginas tão célebres como o Adagio de Samuel Barber ou o Adagietto da Sinfonia N.º 5 de Gustav Mahler. São, todavia, suficientes para nos distanciarem das mais cristalinas sonoridades das primeiras décadas do século romântico. Primeiro, com os músicos DSCH-Schostakovich Ensemble, que se juntam à OML para interpretar o único concerto que Beethoven escreveu para mais do que um solista. O violoncelista Adrian Brendel sobe depois ao estrado, também para dirigir a sinfonia em que Schubert desvela o imenso fascínio que tinha pelo legado de Mozart.


Promotor

Ass. Música,educ. E Cultura - O Sentido Dos Sons