Apoio ao cliente - 707 234 234
Orquestra Sinfónica Portuguesa

Descrição

Os quatro andamentos da Sinfonia n.º 2 em Dó Maior, op. 61, de Robert Schumann (1810-1856) foram esboçados a partir de meados de dezembro de 1846, tendo o compositor passado grande parte do ano seguinte ocupado com a sua orquestração. A depressão permitiu a Schumann dar a obra por terminada apenas em outubro. Todavia, tendo em conta o seu débil estado de saúde, não deixamos de nos surpreender com o tom enérgico e positivo que emana desta obra que foi estreada em novembro de 1846 na Gewandhaus de Leipzig, curiosamente com Felix Mendelssohn no pódio.
 
O Concerto para violino e violoncelo em Lá Menor, op. 102 de Johannes Brahms (1833-1897) com três andamentos, é a derradeira obra do compositor para orquestra; foi escrita durante o verão de 1887 e estreada na cidade de Colónia, em outubro desse mesmo ano. O violoncelista Robert Hausmann e o violinista Joseph Joachim foram os solistas, tendo esta estreia marcado o reatar da colaboração e da longa e grande amizade entre Brahms e o celebrado violinista e compositor húngaro.
 
Ficha artística e técnica:
Violino Paula Carneiro                                           
Violoncelo Irene Lima                                           
Direção musical Joana Carneiro
 
Orquestra Sinfónica Portuguesa

Robert Schumann (1810-1856), Sinfonia n.º 2 em Dó Maior, op. 61
Johannes Brahms (1841-1904), Concerto para violino e violoncelo em Lá Menor, op. 102
 

Promotor

CÂMARA MUNICIPAL DE SINTRA