Apoio ao cliente - 707 234 234
O Jardim Das Delícias - Marie Chouinard

Descrição

MARIE CHOUINARD – HIERONYMUS BOSCH: O JARDIM DAS DELÍCIAS
 
Marie Chouinard coreografia
Louis Dufort música original
Marie Chouinard cenografia, vídeo, desenho de luz e figurinos
Jacques-Lee Pelletier maquilhagem
Charles Cardin-Bourbeau, Sébastien Cossette-Masse, Catherine Dagenais-Savard, Valeria Galluccio, Morgane Le Tiec, Scott McCabe, Sacha Ouellette-Deguire, Carol Prieur, Clémentine Schindler, Megan Walbaum interpretação
Equipa de produção vídeo
Marie Chouinard cenário e realização
Jean-François Gratton fotografia
Miguel Raymond montagem e assistente de realização
Jimmy Lakatos consultor vídeo
Sylvain Robert assistente vídeo
Lucie Mongrain interpretação
Isabelle Gauthier, Cédric Lord fabricante de adereços e de elementos de cenografia
Zdravka Tchakaloff produção de figurinos
Uma produção Compagnie Marie Chouinard, em coprodução com a Fundação Jheronimus Bosch 500, que assinala o 500.º aniversário da morte do pintor.
 
Após um longo percurso iniciado em 1978, em que se dedicou à criação de peças a solo, Marie Chouinard funda, em 1990, a sua companhia. Logo no seu primeiro trabalho, Les Trous du Ciel, de 1991, e no seguinte, de 1993, The Rite of Spring, com música de Stravinski, ficam expostas as preocupações, os interesses e as experiências que irão marcar uma linguagem muito pessoal. Nesta, a representação do corpo humano vai ganhando múltiplas dimensões na sua relação com a dinâmica do gesto, recorrendo ao vídeo, à voz, à poesia visual, a próteses (como em Body-remix / Goldberg-variations, de 2005), à manipulação em tempo real de som e imagem. Chouinard lança mão destas experiências artísticas como hipóteses de descoberta do «paradoxo da vida, na qual a beleza e a violência podem ocorrer ao mesmo tempo». Nesta peça a partir do Jardim das Delícias, de Bosch, Chouinard procede a uma leitura virtuosa da pintura, em que a história da humanidade parece atravessar os corpos dos bailarinos, pondo em evidência o limite da representação figurativa nos movimentos coreográficos.

Texto original:
Uma coreografia em três atos a partir do célebre tríptico O Jardim das Delícias.
Ato 1 : O Jardim das Delícias (painel central)
Ato 2 : O Inferno (painel da direita)
Ato 3 : O Paraíso (painel da esquerda)
 
Face à un chef d’œuvre, le bonheur de s’incliner !
Marie Chouinard
fevereiro 2016

Promotor

Fundação Centro Cultural Belém