Apoio ao cliente - 707 234 234
Jay Jay Johanson

Notas


Descrição

Álbum de estreia de Jay-Jay Johanson faz 20 anos e a digressão que o celebra passa por Portugal em Outubro: foi em 1996 que Jay–Jay Johanson nos mostrou um novo lado de si em «Whiskey».
O cantor e compositor que mergulhou na música por via de jazzísticas sonoridades e técnicas de escrita, descobriu, em 1994, uma cassete que viria a mudar a sua vida. Tratava-se de uma promo de Dummy, dos Portishead, que havia chegado por correio, naquele dia, à redacção da revista de música POP, onde Johanson trabalhava à noite e aos fins-de-semana para ganhar algum dinheiro extra.
Após escutar exaustivamente aquele trabalho da banda de Beth Gibbons e companhia, Johanson percebeu que era possível fazer algo com que ele sempre sonhara: misturar um estilo de composição típico do jazz com batidas urbanas, herdadas do hip hop, abrandadas de modo a que conseguisse cantar, como no jazz, por cima das mesmas.
A descoberta dessa “mecânica” que redundaria no estilo que passou a ser conhecido por trip hop fê-lo pegar no instrumental de «I Got You Under My Skin» de Neneh Cherry, pô-lo a tocar a 33 bpm’s (em vez dos habituais 45) e começar a cantar as suas músicas (fortemente inspiradas em Chet Baker) por cima dessa batida que se arrastava.
Certo dia, e já assumindo nas suas performances esta refrescante e nova forma de fazer música, Jay-Jay Johanson é descoberto pela editora BMG (Sony Music) enquanto tocava numa festa de aniversário a pedido de um amigo. Uma representante da label abordou-o ali mesmo e pediu-lhe uma demo para levar aos seus superiores.
Jay-Jay não tinha nada gravado. A editora cedeu-lhe os seus estúdios para o registo de 7 músicas. «It Hurts Me So» e «So Tell The Girls That I Am Back In Town» eram duas delas. Magnus Frykberg, o produtor na altura de bandas como os Massive Attack e os próprios Portishead, estava em Estocolmo e Jay-Jay Johanson não perdeu a oportunidade de o convidar para colaborar na gravação dessa demo. Magnus aceitou ficar encarregue pela produção e mistura das músicas.
No dia imediatamente a seguir à conclusão da mistura da demo, Jay-Jay Johanson apresentou o produto final ao líder da BMG e assinou ali mesmo um acordo para gravar 3 álbuns com a editora.
O lançamento de «Whiskey», em 1996, viria a dar ao artista sueco honras de capa na mítica publicação francesa Les Inrockuptibles. É aqui que Johanson, na 1ª pessoa, assume ter começado “a sério” a sua carreira.

Promotor

LEMON IBÉRIA