Apoio ao cliente - 707 234 234
Impro Sharana | Shantala Shivalingappa & F. Savall

Notas

Para adquirir bilhetes de mobilidade condicionada por favor contacte as bilheteiras do Centro Cultural de Belém, telefone 21 361 2627 (diariamente das 13H às 20H ou através do email bilheteiraccb@ccb.pt)

Descrição

12 e 13 abril 2019 | Pequeno Auditório | 21:00| maiores de 6 anos
IMPRO SHARANA
COMPANHIA SHANTALA SHIVALINGAPPA & FERRAN SAVALL
 
Shantala Shivalingappa coreografia e interpretação
Ferran Savall criação musical, guitarra e voz
Jordi Gaspar contrabaixo
David Mayoral percussão
Nedyalko Nedyalkov kaval (flauta)
Driss El Maloumi oud (instrumento de cordas tradicional do Médio Oriente)
Nicolas Boudier desenho de luz e técnica
 
Produção Executiva [H]ikari – Compagnie Shantala Shivalingappa em colaboração com CIMA – Fundació Centre Internacional de Música Antiga
Coprodução [H]ikari – Compagnie Shantala Shivalingappa (Nantes), Mercat de les Flors (Barcelona), Festival Temporada Alta (Girona), FIND India-Europe Foundation for New Dialogues (Roma)
                                                    
Nascida em Madras, na Índia, e criada em Paris, Shantala começou a dançar muito cedo por influência da mãe, especializando-se na dança clássica kuchipudi, estilo nascido em Angra Pradesh, no sul da Índia. Apresentou-se em inúmeros festivais e teatros e a combinação de uma técnica rigorosa e o seu estilo gracioso suscitaram o aplauso da crítica. Aos 13 anos foi convidada para trabalhar com Maurice Béjart e, depois, com Peter Brook. Entre os quinze e os dezasseis anos viajou para a Índia, onde foi apurando a técnica kuchipudi com o seu mestre de sempre. A grande experiência com a dança contemporânea tem-na quando Pina Bausch a convida para dançar e é através dela que conhece Sidi Larbi Cherkaoui, com quem trabalhou. Shantala divide o seu tempo entre a dançar kuchipudi e outros projetos de dança, música e teatro.
Em Impro Sharana, Shantala partilha o palco com Ferran Savall, filho de Monserrat Figueras e Jordi Savall, e mais quatro músicos, onde a improvisação musical e a dança se cruzam num diálogo expressivo de espiritualidade entre ocidente e oriente, tradição e contemporaneidade, onde harmonia e liberdade se conjugam para nos deixarem rendidos pela arte de Shantala.
Apoio Antena 1
 

Promotor

Fundação Centro Cultural Belém