Apoio ao cliente - 707 234 234
Alien Weaponry + Special

Descrição

ALIEN WEAPONRY Special Guests

07 Julho – RCA Club

Hoje um dos maiores expoentes da cultura Maori, os ALIEN WEAPONRY estreiam-se em Portugal e, na bagagem, trazem o seu contagiante groove metal tribalista.
Os ALIEN WEAPONRY são já uma enorme sensação no seu país de origem e preparam-se agora para conquistar a Europa com uma digressão que vai levar às massas a estirpe de metal tribalista que inventaram. Com os oito vídeo-clips lançados pelo trio a contabilizarem mais de 3,3 milhões de visualizações só no YouTube, um #1 na tabela de vendas de discos da Nova Zelândia com o álbum de estreia «TU», uma digressão pelos festivais de Verão do leste da Europa e indicados para quatro prémios no NZ Music Awards, os jovens músicos são hoje em dia um dos maiores expoentes da cultura Maori à volta do mundo. Chegam a Portugal pela primeira vez assim, aclamados pela crítica e em estado de graça, no próximo dia 7 de Julho, para um concerto único no RCA Club, em Lisboa.
Há cerca de oito anos, emergiu algo inteiramente novo dos confins da remota cidade de Waipu, perto de Whangarei, na Nova Zelândia. Três miúdos, ainda na escola primária, criaram um projeto chamado ALIEN WEAPONRY. Como se a ideia de uma banda de metal juvenil não fosse já atraente o suficiente para os criativos de marketing das editoras, o grupo idealizado pelos irmãos Lewis e Henry de Jong foi pioneiro na criação de um estilo que mistura o som pesado do metal moderno com a tradicional cultura Maori. Orgulhosos descendentes das tribos Ngati Pikiao e Ngati Raukawa, Lewis e Henry fazem basicamente o que Max e Igor Cavalera fizeram com as raízes brasileiras, mas adaptando o paradigma a uma cultura que tem uma dança de guerra brutal e impactante como tradição.

Bilhetes: Ticketline / Masqueticket (Espanha).
Websites: www.alienweaponry.com // www.facebook.com/AlienWeaponry

BIOGRAFIA ALIEN WEAPONRY
Assumindo o seu nome do filme de terror/ficção científica «District 9», ALIEN WEAPONRY é um trio da Nova Zelândia que, visual e musicalmente, assina uma amálgama cinética e tribal de groove metal e ritmos coloridos, profundamente apoiada na herança Maori dos seus membros. Fundado em 2010 pelos irmãos Lewis (guitarra, voz) e Henry (bateria) de Jong, o grupo apresenta uma trajetória algo similar às lendas da fusão tribalista Sepultura, outra unidade de irmãos adolescentes que tudo fez para apagar muitas das linhas que separavam o poder sonoro do metal e das heranças culturais.
Descendentes de membros das tribos Ngati Pikiao e Ngati Raukawa, os músicos usam frequentemente a tradicional dança guerreira Maori, a haka, na sua música, criando um som que é – simultaneamente – familiar e entusiasmante pela novidade que acrescenta a um estilo já conhecido. Nascido quando os irmãos de Jong tinham apenas 8 e 10 anos de idade, o coletivo é originário de Auckland e tornou-se um trio em 2013, já depois de se mudar para a pequena cidade de Waipu e adicionar o baixista Ethan Trembath à formação.
Lançaram o EP de estreia, com o título «The Zego Sessions», de forma independente em 2014, seguido por uma digressão na Nova Zelândia com os Devilskin. Seguiu-se mais sucesso regional em 2016, com a banda a vencer duas finais nacionais das competições Smokefreerockquest e Smokefree Pacifica Beats. Em 2017, lançaram um par de singles antes da edição de «TU», o primeiro longa-duração, disponibilizado pela Napalm Records em 2018. O álbum estreou no número cinco na tabela de vendas da Nova Zelândia e, numa questão de poucas semanas, trepou ao primeiro lugar.

Promotor

PRIME ARTISTS, UNIPESSOAL,LDA